Ir para o conteúdo

Seguro agrícola indeniza produtores rurais na Bahia por perdas na soja

As perdas nas lavouras de soja, principalmente, e também nas lavouras de milho safrinha, algodão e café, no centro sul baiano, causadas pela seca severa e prolongada, estão sendo reparadas aos produtores que contrataram o seguro agrícola.

Segundo o GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE, que detém 70% do mercado de seguros rurais do país, mais de 400 produtores foram prejudicados, principalmente as propriedades estabelecidas na região que compreende o extremo oeste baiano (Baianópolis, Barreiras, Correntina, Cotegipe, Formosa do Rio Preto, Jaborandi, Luis Eduardo Magalhães, Riacho das Neves, Santa Rita de Cassia e São Desiderio).

A área indenizada foi de 117 mil hectares. Este é o terceiro ciclo consecutivo de perdas em todo o Estado.

“A seca afetou todas as etapas de desenvolvimento da planta, desde a fase inicial até o enchimento dos grãos, comprometendo todo o processo de produção. Mais de 50% dos produtores que contrataram o seguro agrícola no estado registraram perdas em suas plantações por motivo de seca, muito severa este ano”,  explica Wady Cury, diretor geral de Habitacional e Rural da seguradora.

Aproximadamente R$ 118 milhões foram pagos em indenizações aos produtores em decorrência da forte estiagem. O valor indenizado é o maior já pago pela seguradora em 5 anos de operação.

Seguro Faturamento

O produto BB Seguro Agrícola Faturamento protege a lavoura de adversidades climáticas e assegure renda, mesmo em caso de queda de preços na colheita. É a modalidade mais atrativa ao produtor, pelo fato de proteger a lavoura de adversidades climáticas e assegure renda, mesmo em caso de queda de preços na colheita.

“O grande diferencial da modalidade faturamento é o cálculo de três variáveis: área plantada, produtividade esperada e preço base, o que também garante renda ao produtor rural em caso de sinistros. Por sua vez, o seguro agrícola convencional baseia-se na relação área plantada x custos de produção”, explica Cury.

Mesmo diante do montante elevado de indenizações no ciclo 2015/2016, o preço do seguro não sofreu impacto e a sua comercialização para as culturas afetadas, nas regiões mais agravadas pela seca, continua.

Para a safra 2016/2017 a venda do seguro já começou, e o produtor pode optar pelo nível de cobertura da apólice que varia de 65% a 80% do faturamento esperado.

Sobre o GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE
Resultado da união estratégica entre o Banco do Brasil e a MAPFRE Seguros, o GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE conta com mais de 6 mil colaboradores, mais de 65 mil pontos de venda, incluindo corretores e agências bancárias. Possui um dos mais amplos portfólios de produtos do mercado, além de unidades de negócios especializadas, presença territorial abrangente e distribuição multicanal.

Mais informações sobre o GRUPO com CDN Comunicação
Fernanda Monteiro – 11 3643-2804, e-mail fernanda.monteiro@cdn.com.br
Patricia Polo – 11 5111-1051, e-mail t_ppolo@bbmapfre.com.br; patricia.polo@cdn.com.br
Natália Dias – 11 3643-2820, e-mail natalia.dias@cdn.com.br
Harley Moreira – 11 3643-2767, e-mail harley.moreira@cdn.com.br

Voltar ao topo