Ir para o conteúdo

No Dia do agricultor, GRUPO BB E MAPFRE ressalta a importância dos seguros rurais

A atividade agropecuária é cercada de riscos. Condições climáticas, questões biológicas e até mesmo a oscilação dos preços dos produtos são fatores que preocupam o agricultor e merecem toda atenção. Uma maneira de conviver melhor com as incertezas que fazem parte do negócio é contratar um seguro rural.

“Hoje em dia, é muito difícil para o agricultor se manter na atividade rural se não tiver competitividade. E, para isso, é preciso reduzir os custos e riscos. O seguro é uma ferramenta que ajuda o agricultor a gerenciar melhor seus custos e as consequências a riscos, auxiliando na reposição de perdas e possibilitando mais segurança para que continue investindo na propriedade”, explica Wady Cury, diretor geral de Habitacional e Rural do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE.Segundo Cury, as modalidades de seguro mais

comercializadas no Brasil e que oferecem essa segurança são o seguro agrícola, que é o produto voltado para a produção vegetal; o seguro pecuário, que é voltado à produção animal e o seguro florestal, que protege de riscos em silvicultura (cultivo das árvores).

“Nós temos ainda o seguro voltado ao patrimônio, que seria o seguro de benfeitoria e produtos agropecuários, destinado às máquinas e às construções rurais. Mas, quando essas construções ou máquinas estão atreladas como garantia de uma operação de crédito rural, elas devem ser enquadradas em uma outra modalidade, que é o seguro de penhor rural”, explica Cury.

Antes de contratar o seguro, é importante que o agricultor avalie qual modalidade atenderá melhor às suas necessidades.

“Em primeiro lugar, o agricultor deve identificar quais são as suas principais vulnerabilidades e qual é o seu interesse: proteger a qualidade da produção, a quantidade a ser produzida, ou ambos. Ele também precisa analisar o faturamento que espera ter. E, por fim, deve buscar no mercado um seguro que atenda a essas necessidades, por meio de corretores de seguros e das agências bancárias”, explica.A contratação de seguros das modalidades
agrícola, pecuária e florestal deve prever um projeto de cultura consistente e em consonância com as recomendações de órgãos técnicos como a Embrapa, especialmente em termos de manejo e sanidade. Culturas que possuem Zoneamento Agrícola de Risco Climático devem ser implantadas de acordo com as portarias estabelecidas anualmente pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

Para o seguro de patrimônio rural são solicitadas informações quanto ao estado de conservação dos bens, o que evidencia o legítimo interesse do segurado na contratação.

​Independentemente da modalidade de seguro em questão, é fundamental que o agricultor seja criterioso no fornecimento das informações relacionadas ao objeto do seguro, não omitindo ou alterando qualquer informação que possa de alguma forma influenciar no risco.

Sobre o GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE
Resultado da união estratégica entre o Banco do Brasil e a MAPFRE Seguros, o GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE conta com mais de 6 mil colaboradores, mais de 65 mil pontos de venda, incluindo corretores e agências bancárias. Possui um dos mais amplos portfólios de produtos do mercado, além de unidades de negócios especializadas, presença territorial abrangente e distribuição multicanal.

Mais informações com CDN Comunicação
Fernanda Monteiro – 11 3643-2804, e-mail fernanda.monteiro@cdn.com.br
Patricia Polo – 11 5111-1051, e-mail t_ppolo@bbmapfre.com.br; patricia.polo@cdn.com.br
Natália Dias – 11 3643-2820, e-mail natalia.dias@cdn.com.br
Harley Moreira – 11 3643-2767, e-mail harley.moreira@cdn.com.br

Voltar ao topo