Ir para o conteúdo

Notícias

Agroecologia: seu papel no desenvolvimento rural sustentável - Banner

Agroecologia: seu papel no desenvolvimento rural sustentável.

São 15 milhões de pessoas no campo em 5,1 milhões de estabelecimentos agropecuários no país. Este é o dado mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Censo Agropecuário de 2017. Grande parte desse contingente tem nas mãos a tarefa de alimentar a população: são os que fazem parte das estatísticas referentes à agricultura familiar – pequenos proprietários rurais, que tem como mão de obra o seu núcleo familiar. Segundo o Censo, a agricultura familiar é a base da economia de 90% dos municípios brasileiros com até 20 mil habitantes. Além disso, é responsável pela renda de 40% da população economicamente ativa do País e por mais de 70% dos brasileiros ocupados no campo.

Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a agricultura familiar é uma grande responsável por parte dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros: 70% do feijão, 34% do arroz, 87% da mandioca, 46% do milho, 38% do café e 21% do trigo. É desse segmento que vem também 60% da produção de leite, 59% do rebanho suíno, 50% das aves e 30% dos bovinos.

A agricultura familiar brasileira, quando considerada isoladamente, é a 8ª maior produtora de alimentos do mundo, segundo estudo em conjunto com o Banco Mundial, faturando anualmente mais de US$ 50 bilhões.

Os ganhos podem ser ainda maiores se as atividades da fazenda estiverem em plena sincronia. Esse é o conceito da agroecologia, cujos princípios são a integração entre diferentes sistema agrícolas, a rotação e o consórcio de culturas, a ciclagem de nutrientes, o equilíbrio ecológico, a eficiência econômica e a justiça social, sendo este o modelo de produção mais adequado às pequenas e médias propriedades como forma de conjugar a maximização dos ganhos com o melhor aproveitamento dos recursos naturais e a conservação da biodiversidade.

O pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Milton Parron Padovan, afirma que todos podem se beneficiar com o consumo de produtos agroecológicos. "Melhoria na qualidade de vida é a principal conquista. Ganham os consumidores que podem se alimentar com produtos saudáveis, de boa qualidade e livres de resíduos químicos, ganha o meio ambiente, devido à conservação e à melhoria da qualidade ambiental promovidos pelas técnicas utilizadas para viabilizar a produção, e ganham os agricultores, que dispõem de rendimento financeiro oriundos da comercialização de seus produtos", conclui Milton.

____________________________________________

Fontes:

Voltar ao topo