Ir para o conteúdo

Notícias

Como o produtor pode se proteger das mudanças climáticas

Como o produtor pode se proteger das mudanças climáticas

Apesar do cenário futuro para a produção agrícola no Brasil ser animador, mudanças climáticas podem complicar a vida do produtor. Hoje existe cerca de 66% de chances de a temperatura global aumentar pelo menos 2,5°C até o ano de 2100, afetando de maneira considerável os sistemas de produção das principais culturas no Brasil. Esta previsão é do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), organização científica criada em 1988 e ligada à Organização das Nações Unidas (ONU).

A boa notícia é que existem técnicas de produção que podem reduzir esses efeitos. E uma grande parte delas está relacionada à conservação do solo, o que faz melhorar sua estrutura, além de favorecer a tão importante retenção de água. O plantio direto, ou simplesmente PD, é o carro-chefe dessa orientação, pois, na medida em que evita o revolvimento e a compactação do solo, ajuda a preservar as características químicas, físicas e biológicas da terra, proporcionando um ambiente adequado para a manutenção da fertilidade do solo e o bom crescimento das raízes.

Além do sistema de plantio direto existem também outras técnicas, tais como a rotação de culturas, o plantio de forragens e a adoção de sistemas de integração, como, por exemplo, a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), que também contribuem para uma maior resiliência dos sistemas produtivos frente às mudanças climáticas, tornando os solos e as culturas menos expostos aos aumentos de temperatura e às restrições de
umidade.

Menos emissões
Não existe dúvida de que o aumento da temperatura da terra está ligado ao crescimento nas emissões de gases do efeito estufa, principalmente o dióxido de carbono e o metano, em grande parte provenientes da agricultura e da pecuária. Segundo dados de 2018, estas atividades são responsáveis por 71% das emissões brasileiras, sendo o Brasil hoje o sétimo maior emissor de gases do efeito estufa do mundo. Isso só reforça a importância cada vez maior de os produtores rurais atentarem para as boas práticas de manejo, no intuito de otimizarem seus recursos, já que sistemas produtivos mais eficientes são a chave para a redução na emissão dos gases.

 Fontes:

*Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), Organização das Nações Unidas (ONU)¹
*Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), Organização das Nações Unidas (ONU)¹

*Claudenor Pinho de Sá, pesquisador da Embrapa Acre, Rio Branco

*Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas (COP24)¹
*Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas (COP24)²


Voltar ao topo